segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

NOVA VISÃO

Sunrise by the Ocean, de Vladimir Kush

Andei por um tempo longe dos blogs, twitter, orkut, e-mail e MSN para me dedicar única, exclusivamente à não visão. Frase estranha essa, né? Mas fica mais estranha quando acrescendo que também andei por um tempo longe de quase todos os meus projetos para me dedicar à não visão. E mais estranha ainda quando afirmo que a não visão se faz ver horizontes inimagináveis. E para não deixar essas incógnitas tão vagas, resumo tudo numa frase: “Está sendo ótimo a experiência de ensaiar meus atores deficientes visuais.” São tantas as formas que venho aprendendo a enxergar me desviando da visão do óbvio, que chego à sincera certeza de que para alguns “O ato de enxergar atrapalha o de ver”. Nossa peça se chamará “Superação” e surgiu de um convite que recebi para ser o diretor artístico da ADACD. A mais nova associação ligada ao governo que cuida dos deficientes visuais. Nessa peça o elenco é composto por quinze atores cegos. “Superação” não contará a história óbvia de deficientes visuais querendo se integrar ao mundo dos videntes. “Superação” é o desbravar de um novo universo que se enxerga por olhos internos. Eis aí um motivo ótimo para realizar um worshop num planeta habitados por poucos. Além da peça, vamos realizar um documentário sobre a não visão de uma hora e meia. Boa sorte para todos nós!

4 comentários:

Louise Martins disse...

Que saudade dos seus textos! Notei que ficou bastante tempo sem postar mesmo.
Mas muito interessante o motivo pelo qual se "afastou".
Hoje a tarde assisti um filme que coincide um pouco com o que escreveu em seu texto. O filme se chama: "Perfume de Mulher".

Muito sucesso em seus trabalhos Shel!

Beijo.

Níblia disse...

Belo!!!

Anônimo disse...

Texto tão belo quanto o dono

Mariana Furletti disse...

Que texto massa hein! Foto tbm!